Archive for maio, 2009

O perfil universitário

      O poder do público universitário aumentou e somente no Brasil temos 2.165 Universidades com 4,5 milhões de universitários (Dados INEP – Instituto Nacional de Estudo e Pesquisas Educacionais). A previsão do Governo Federal é de que em 2010 tenhamos mais de 9,5 milhões de estudantes dentro das instituições de ensino superior.

      A maior concentração desse público fica na região Sudeste, com 49%, segundo INEP. A movimentação financeira do público jovem no mercado Nacional é de R$ 100 bilhões/ano e sua influência de consumo representa R$94 bilhões/ano e sua influência de consumo corresponde a R$ 94 bilhões/ano. Somente os universitários movimentam e influenciam R$ 76 bilhões/ano cerca de 40%, mesmo sendo representado apenas 26% do total dos jovens do Brasil, números esses obtidos através de pesquisas da FGV (Fundação Getúlio Vargas) e IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

      Uma pesquisa recente do CIEE (Centro de Integração Empresa Escola) sobre o perfil do universitário na região metropolitana de São Paulo (onde está concentrado o maior número de acadêmicos do país) mostram alguns números que impressionam: 88% dos universitários não possuem notebook, 65% não utilizam carro próprio, e o mais impressionante, 47% ainda não possuem celular.

      O curso de Administração é o mais procurado no Brasil e é o que tem maior quantidade de alunos matriculados, segundo dados do INEP.

      Os cursos de maior índice de desistência em todo o país são matemática e ciências da computação.

      Um grande problema que o ensino superior enfrenta é a evasão. Segundo uma pesquisa do MEC, as instituições privadas, onde estudam 3 a cada 4 universitários brasileiros, têm proporcionalmente, menos estudantes concluindo seus cursos, cerca de 55,4%. Enquanto nas universidades Federais o índice chega a quase 73%. O maior inimigo dos estudantes do ensino superior privado, são as altas mensalidades, pois nem todos têm condições de se manter até o final do curso e assim se torna cada vez mais difícil esses alunos se formarem.

                                                                      Por Alessandra Oliveira

maio 30, 2009 at 11:40 am Deixe um comentário

Terapeutas da Alegria

     Desde 2002, o projeto Terapeutas da Alegria, leva a mistura de música, teatro improvisado e sorrisos à pacientes de vários hospitais catarinenses.

     Uma integração entre os alunos da UNISUL, UDESC, e UFSC,  junto com a coordenadora do projeto Rosiléia Rosa, que tem como objetivo auxiliar na formação de profissionais da saúde, deixando-os socialmente e humanamente mais aptos para seguir a profissão.

     Apesar de parecer uma brincadeira ou descontração, o projeto tem total seriedade. Durante um ano, os alunos participam de aulas de expressão corporal, música e de teatro, isto para que haja um amadurecimento do projeto e preparação do personagem, associado a uma figura de “doutor-palhaço”. Somente depois deste período, os alunos saem a campo.

     Toda segunda-feira, os alunos de nutrição da UNISUL, unidade Pedra Branca, se encontram no ginásio da faculdade para ensaios e reuniões.

     Dividem-se em grupos para as visitas semanais aos hospitais. Entre eles estão o Hospital Joana de Gusmão e o CEPON, onde levam alegria aos pacientes da ala de ortopedia e do núcleo de câncer e do ambulatório.

     Muitas são as satisfações dos voluntários. Bruna Fernandes, estudante de nutrição da UNISUL, compartilha sua experiência mais gratificante: “Lembro que uma vez fui visitar um menino que estava em coma a mais de um ano, seu pai sempre estava ao lado dele, fizemos uma bola imaginária só com boas vibrações, e fizemos como se tivéssemos jogado esta bola no menino. Sabe o que aconteceu? Ele mexeu as pálpebras. Parecia que sentia as vibrações.”

     Não é só para a formação profissional que escolhem participar do projeto, mas também, por eles mesmos, realizando-os como pessoas, pensando da humanização do indivíduo.

                                                                                                                    Por Luana Pacheco                                          
                                                   

maio 30, 2009 at 8:12 am Deixe um comentário

Meu curso, meu futuro

Thayse

Thayse

     Determinação e força de vontade são palavras que definem a jovem Tayse Espinoza, 21 anos, estudante da 8ª fase de administração da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Vencedora do 1° Prêmio Negócio Certo SEBRAE, realizado em 2008, ela teve o melhor desempenho entre as três categorias concorrentes: indústria, comércio e serviços. Como prêmio ganhou uma viajem ao Vale do Silício nos Estados Unidos (EUA).

     Como ela já fez vários cursos no SEBRAE e discutia com seu pai, Ruperto Espinoza, sobre idéias de negócios, então a opção escolhida foi serviços. Contou com o auxílio do professor João Zabot que recomendou livros para pesquisas. Fez um cronograma onde dividiu tudo em etapas, seguiu todas à risca e quando percebeu já havia concluído o projeto, ao término sabia que era muito competitivo.

     Com base em um sonho antigo de seu pai em exportar produtos de sua marca, ela projetou um centro de negócios internacional para micro e pequenas empresas. Através de feiras e pesquisas de mercado, a empresa interessada é inserida no comércio internacional. Sabia que seu projeto era muito competitivo, pois gera um retorno financeiro em apenas dois meses enquanto a maioria das empresas necessita no mínimo um ano.

     A cerimônia de premiação reuniu os finalistas regionais de todas as categorias no restaurante Lindacap em Florianópolis, nervosa perdeu suas esperanças de ganhar o prêmio ao ouvir uma concorrente repetir a todo instante, “eu venci, eu venci”. No entanto após divulgar os segundos colocados a jovem teve uma grande surpresa, ouviu seu nome sendo anunciado como vencedor, aí não se conteve e chorou e vibrou muito. Ainda em meio às lágrimas foi chamada para fazer um discurso, dever de quem teve a melhor nota entre todos.

     Com a viagem assegurada veio mais uma etapa, conseguir toda a documentação para viajar, tudo custa muito dinheiro e com o salário de estagiária não tinha como pagar toda a documentação. Com o mesmo projeto ela se inscreveu no 1° Concurso Relâmpago de Idéias de Negócios, promovido pela UFSC e ESAG e mais uma vez venceu, a premiação foi em dinheiro, suficiente para cobrir boa parte dos custos com a documentação necessária.

     Em fevereiro desse ano junto com os vencedores das outras categorias e dois diretores do SEBRAE, embarcou para o Vale do Silício nos EUA e lá conheceu várias empresas como Google, Apple, HP e as Universidades de Stanford e Santa Clara. Entre essas e tantas outras uma que a chocou muito pelo fato do fundador ter mesma idade dela. Quando tinha apenas 19 anos este empreendedor fundou a Ooyala, empresa fornecedora e criadora de um software inovador para várias grandes empresas, hoje ele fatura milhões.

     Motivada ela procura novos desafios e participa do Desafio SEBRAE 2009 com sua irmã também estudante de administração e três amigas.

por Greisi Silva

maio 29, 2009 at 4:19 pm 2 comentários

Aconteceu

tirinha

maio 29, 2009 at 3:13 pm Deixe um comentário

Dois empregos, duas paixões

Izo+cópia..

     Funcionária há 28 anos da prefeitura de São José e há 15 do Grupo Dimas, Izolete Eulália Silva, 45 anos, divide há muito tempo sua vida entre ambos empregos. Há quatro anos optou por voltar a estudar e escolheu cursar pedagogia, apesar de toda uma vida dedicada à telecomunicação.

     Sua rotina começa às 7h da manhã na secretária da educação em São José, onde trabalha como auxiliar de educação infantil, desenvolvendo projetos pedagógicos e trabalhando o lado social e afetivo das crianças. Às 13h Izolete segue apressada para o Dimas, pois seu expediente começa às 13h30 . Como supervisora de telefonia, coordena toda uma equipe de telefonistas até 19h. Segundas e quintas-feiras sua rotina acaba apenas às 22h, quando retorna da Faculdade Internacional de Curitiba (FACINTER), onde cursa pedagogia à distância, em São José.

     A profissão de telefonista lhe trouxe problemas graves, como a perda de uma parte da audição e lesão nas mãos por movimentos repetitivos, isso fez ela se afastar do telefone . Mãe solteira aos 22 anos, o sonho de voltar a estudar sempre esteve presente na sua vida. Seu chefe a motivou para voltar  a estudar. Izolete voltou para 2º grau e fez magistério e logo depois se matriculou na graduação. Hoje está na 5ª fase e conta feliz que se formará no próximo ano.

     Planos para o futuro ela tem, pretende fazer pós-graduação em educação infantil ou especial, mas, ainda não decidiu. Apesar de várias vezes na entrevista revelar o seu amor em trabalhar com telefonia, se  precisar escolher uma única profissão, ela não exita, escolherá a pedagogia.

 por Graziely Neri

maio 29, 2009 at 2:35 pm Deixe um comentário

O Imortal Kalymor

 capa_do_orkut

     Ainda na infância Igor Martins de Menezes, médico residente em São João Batista, colocou no papel suas primeiras idéias. Seu passatempo preferido era desenhar tirinhas expiradas nos personagens da Marvel. A junção de desenhos, texto e idéias se tornou pequena para um caderno e se projetou num livro de 400 páginas, publicado em dezembro de 2007 pela editora Insular.

Confira a entrevista realizada com Igor:

Como surgiu a idéia do livro?
    
A idéia vem desde pequeno dos tempos de infância. Eu sempre fui muito aéreo mais gostava de desenhar. Cresci e quando entrei na faculdade não tinha muito tempo para isso, pois achava que devia estar estudando. É claro que também não estudava muito, pois no início da faculdade só queria festa, como todos. Resolvi pegar as idéias dos desenhos e escrever em uma agenda, onde anotava as provas e trabalhos também. Era uma forma de fugir da faculdade e aos poucos a agenda ficou pequena, passou para um caderno e depois para o segundo, quando me dei por conta que era mais fácil digitar.

Qual foi a trajetória do livro desde a criação até a publicação?
    
 Comecei a digitar dois anos depois de começar, eu imprimi e ficou no formato de uma apostila, até então quase ninguém sabia o que eu escrevia. Ocorreu um episódio em que a família estava na casa da minha avó, na Cachoeira do Bom Jesus. A minha tia havia acabado de almoçar e iria dormir, mas queria algo pra ler entreguei o meu livro. Ela não conseguiu dormir e leu até o final, isso me inspirou a publicar.

Quanto tempo você dedicava ao livro?
    
Eu demorei muito para escrever por causa da faculdade tinha épocas em que eu ficava meses sem escrever, por causa dos semestres difíceis do curso. Foram uns quatro anos escrevendo. Depois de decidido que iria tentar publicar, entreguei o que já tinha feito ao meu pai, ele é professor de português.

Foi difícil fazer essa correção?
    
Levou mais de dois anos fazendo isso, essa foi a pior parte, pois ele tinha que corrigir uma frase, sem que ficasse de uma forma que ele escrevesse, ele tinha que manter a minha idéia. Essa parte foi estressante, mas muito boa, pois já estava formado e trabalhava o dia todo, e as noites eu ficava com ele. Tivemos um contato tão intenso que muitas noites eram eu e ele, umas cervejas, uns jogos do grêmio e churrasco. Conseguimos publicar em dezembro de 2007.

Porque a escolha de ser médico e não fazer línguas ou jornalismo algo ligado a literatura?
    
 Eu sempre fui mais quieto, mais de observar. Fiz medicina pra fazer psiquiatria. Só comecei a escrever depois que passar na faculdade, talvez se eu tivesse feito jornalismo ou línguas, não teria escrito.

Quais os próximos projetos para o livro?

Primeiramente a divulgação das mais variadas formas. Esse ano, isso é extra-oficial, o colégio catarinense vai adotar o livro no currículo. Vou  também fazer a Coperve adotar no currículo do vestibular. Isso é apenas um sonho.

O que você encontra no livro O Imortal Kalymor: 
      O livro conta a história de um homem (Hans Kalymor) que procura a Catedral Metropolitana de Florianópolis para realizar uma confissão sobre inúmeros crimes que ele cometeu por causa de seu amor perdido. Na busca por vingança, por um acaso do destino ele se tornou imortal e percorreu oito séculos de lutas, sofrimento e busca por um sentido em sua eternidade. Nessa caminhada, o personagem se deparou com diversos seres, místicos ou humanos, sempre na procura de conhecimento e sabedoria sobre diversos aspectos da vida, do amor, da honra, de guerras e evolução de si próprios, inclusive uma explicação plausível sobre o que seria Deus e as leis do universo.

                                                                                                                      por Graziely Neri

maio 29, 2009 at 2:23 pm 1 comentário

Nunca é tarde para recomeçar

     Mãe, esposa, mulher, dona de casa, esteticista e estudante. Isto é apenas um pouco da rotina de Viviane Ribeiro Gomes Pereira, 35 anos, mãe de Bruna Pereira, 19, e Vinícius Pereira, 12 anos. Ela nos conta um pouco do seu dia-a-dia, e como arranja tempo para tudo o que faz.

     Foi mãe jovem, obteve responsabilidade e maturidade e teve que adiar algumas metas. Como nunca é tarde para realizar um sonho, ela voltou a estudar e está na quarta fase do Curso de Cosmetologia e Estética da Univali  São José.

     Viviane trabalha na área de estética há dez anos, mas segundo ela a área tem uma grande carência de profissionais especializados. ‘’Antigamente fazia-se um curso com duração de seis meses e já era considerando um profissional, hoje o mercado exige mais competência. ’’

     Ela não pensa em parar quando se formar e quer continuar estudando, pretende emendar uma pós-graduação em seguida. Sua vontade é de se especializar na área de corpo e face da terceira idade. ‘’ Sempre gostei de estudar, abri mão uma vez pela minha família e agora eles me apóiam. Minha área procura sempre um aperfeiçoamento e é nisso que estou focada. ’’

     Ela não tem folga em nenhum momento, quando não está trabalhando, está em casa com a família ou na faculdade. Afirma ser complicado conciliar tudo, por isso conta com a ajuda da família que sempre a incentivou. ‘’ O trabalho é pesado, a família ajuda na divisão das tarefas, somos uma equipe!’’ Diz Viviane com um misto de orgulho e felicidade.

     Aldanei Ana Pereira, 37 anos, é paciente de Viviane há seis anos e demonstra satisfação ao falar dos resultados que obteve com os tratamentos estéticos. ‘’ Me sinto gratificada com o trabalho da Viviane, ela trabalha o corpo e a mente, é uma excelente profissional, saio da sessão de massagem sempre relaxada. ’’

     Viviane é exemplo do espaço em que as mulheres estão conquistando atualmente e é um exemplo a ser seguido. É inspirador o brilho que há nos olhos dela quando fala da sua vida, demonstra o quanto ama tudo o que faz. Como não poderia deixar de faltar, deixou algumas dicas de cuidados com a pele. Confira abaixo.

Os cuidados que você deve ter:

  • Não se exponha excessivamente ao sol. Evite horários entre 10h e 15h. Utilize filtros solares de acordo com o seu tipo de pele;
  • Utilize óculos escuros com lentes apropriadas nos dias mais claros;
  • Evite o consumo de alimentos gordurosos, bebida alcoólica e tabagismo;
  • Lave bem as frutas, legumes e verduras, de preferência come-las com casca;
  • Consuma alimentos leves e saudáveis;
  • Ingerir muita água;
  • Praticar atividade física pelo menos 2 vezes por semana.

                                    Viviane na aula prática de estética facial

Viviane na aula prática de estética facial.                                                                                                             por Alessandra Oliveira

maio 29, 2009 at 2:11 pm 2 comentários

Posts antigos


Quem somos

Idealizado e editado pelas acadêmicas do curso de jornalismo da Faculdade Estácio de Sá de Santa Catarina: Alessandra Oliveira, Graziely Neri, Greisi Silva e Luana Pacheco. O blog meucursominhavida tem como objetivo incentivar e informar atuais e futuros acadêmicos sobre o mundo universitário, através de histórias verdadeiras de quem já passou e está passando por esta experiência.

Flickr Album

Arquivo

RSS Últimas notícias, by Google News